QUANDO OS AMIGOS ATRAPALHAM O CASAMENTO

Quem nunca teve problemas com seu namorado(a), noivo (a), esposo(a) por conta de uma amizade? Acho que a maioria já passou por essa situação. Muitas vezes, são desentendimentos causados por mal entendidos, outras vezes são por motivos realmente sérios. Seja por um motivo banal ou não, a verdade é que isso pode acabar com seu relacionamento amoroso. Eu disse pode! Essa possibilidade irá se concretizar caso o casal não se resolva e, para isso acontecer, é preciso ter paciência, compreensão e sacrifícios.

Ciúmes, está aí o principal pivô de desentendimentos por conta de um amigo (a). Ele nasce quando não aceitamos os gestos carinhosos com o nosso amigo(a) como abraços, beijos, cartas, mensagens, conversas, ligações, etc. É claro que tais gestos não configuram traição nem, muito menos, um sentimento além de amizade. Mas, o exagero, a intensidade e a assiduidade deles é o que incomoda, normalmente, o nosso (a) companheiro (a). Portanto, é recomendável uma moderação nesses gestos. Afinal, sendo você uma pessoa com um compromisso amoroso deve manter uma postura diferente da de um solteiro. Logo, algumas deverão ser evitadas.

Outra vilã de brigas entre casais é aquela conversa com o amigo (a) que acaba interferindo, sutilmente (indiretas, ou o famoso “comendo pelos cantos”) ou não, no nosso relacionamento. Concordo que um amigo deve nos ajudar e que ele só quer o nosso bem. Entretanto, o casal deve ter sua privacidade em algumas coisas. Além disso, nem tudo que um amigo fala ou recomenda é, de fato, o melhor a ser feito — considere a humanidade dele(a). Especialmente as mulheres, têm o costume de dizer, ou mesmo ditar, quem a sua amiga deve ou não relacionar-se. Se ela gosta do homem, é o certo; se não gosta, “coloca terra”.  Nesses casos,  quando a menina assume o risco de namorar e o garoto fizer algo  de errado, a amiga logo o condena sem, ao menos, saber o que de fato aconteceu.

Bem, não acredito que isso seja amizade. Um amigo não interfere no seu relacionamento. Ele pode, se você pede a opinião dele sobre o assunto, dizer o que ele acha mas sempre recomendando o seu bem. Se, acaso, esse amigo (a) insiste demais em falar sobre seu relacionamento (seja com conversa ou mandando mensagens com indiretas, ou mesmo vídeos e músicas de crises amorosas), acredite: ESSA PESSOA NÃO É SEU AMIGO (A). É ALGUÉM COM SEGUNDAS INTENÇÕES EM VOCÊ. A primeira recomendação de um verdadeiro amigo quando você passa por dificuldades no seu relacionamento é que você se reconcilie e ajudá-lo a reconciliar-se.

Observe se essa(e) amiga(o) pergunta sobre como está o seu relacionamento, se convida você para sair mas não diz para convidar sua/seu  companheira(ao), insiste dizer que não entende os motivos de você está junto com a pessoa amada. Se essa(e) amiga(o) faz uma dessas coisas ou outras quem nem ouso mencionar (de tão graves que são), então há algum tipo de interesse além da amizade. Aí cabe a você cortar relações com essa pessoa, caso queira realmente manter seu relacionamento.


Uma questão bem complicada que gera conflitos entre os casais é a decisão de manter contato com um amigo(a) que nutre outro sentimento por você. Nesse caso, acho que a melhor decisão é falar apenas o indispensável. Digo isso porque, de uma forma ou de outra, essa pessoa vai interferir no seu relacionamento. Especialmente quando esse sentimento está a mostra, escancarado para qualquer um. Não faz sentido insistir em considerar essa pessoa sua amiga se ela quer mais que isso. Lembre-se que todo relacionamento (interpessoal ou não) só é possível a partir de uma reciprocidade. Se um não quer ser amigo, logo não existe o vínculo de amizade. Pode até existir de sua parte, mas não configura um relacionamento. Essa questão torna-se mais complexa quando a sua/seu companheira(o)  sabe. Então, porque manter algo que só vai atrapalhar seu relacionamento?

Mesmo levantando essa questão da interferência de uma amizade no nosso namoro, noivado ou casamento, nada tem o poder de destruir seu relacionamento se você não o der. O fim só acontecerá caso os dois permitam que aconteça. Para evitar esse e outros problemas, o segredo é sempre diálogo e compreensão. O orgulho sempre nos separa e nos impede de ceder ao outro. Aí entra em jogo o velho um cede de um lado e o outro cede do outro. Só se constrói algumas coisas, abrindo mão de outras. Quando nos relacionamos amorosamente com alguém temos que ter a consciência de que não podemos levar mais aquela vida de solteiros. E, portanto, assumimos alguns riscos e responsabilidades. No mais, ame e viva intensamente sem deixar que as pedras (que serão constantes em todas as etapas da vida a dois) do caminho atrapalhem seu relacionamento.
O que vocês acham? comentem!
Postar um comentário