10 DICAS PARA EVITAR QUE O PARCEIRO ATRASE SUA VIDA PROFISSIONAL

Resultado de imagem para imagem de casal brigando


Seu parceiro te coloca para baixo, não acredita em seu potencial, mina seu entusiasmo na carreira e tampouco apoia seus objetivos profissionais? Então, muito cuidado, pois isso pode ser uma cilada e, muito provavelmente, vai atrasar sua vida! De acordo com especialistas em carreira consultados pelo Tempo de Mulher, o parceiro ideal é aquele que estimula você em sua corrida profissional, e não o que te sabota o tempo inteiro.
"O perfil de companheiro interessante para uma mulher que deseja crescer na carreira é aquele que compreende a importância dos objetivos profissionais dela, apoia seus esforços e reconhece cada uma de suas conquistas", afirma Eni Santos, coach e especialista em carreira. "O equilíbrio pessoal, a cumplicidade e o companheirismo advindos de um relacionamento afetivo que tem como base o respeito e o amor costumam resultar numa performance profissional superior, além de trazer ganhos em relação ao estresse ocasionado pelo trabalho e ajudar na energia da busca pelos objetivos", afirma.
Para Riccardo Oliveira, coach profissional com atuação nas áreas de vendas, liderança e carreira, o parceiro ideal nesse caso é o que aceita a mulher do jeito que ela é, com suas qualidades e limitações. Ainda na avaliação do especialista, a mulher tende a se sentir mais segura quando percebe que seu parceiro aceita e aprecia sua atividade profissional.
"Quando a mulher tem um companheiro de verdade ela sabe que tem alguém ao seu lado que a apoia, vibra, torce e ficará feliz com seu sucesso. Ele vai incentivá-la a fazer novos cursos, passar por experiências novas e até dar alguns feedbacks para corrigir eventuais, se for o caso, deslizes. Mas é importante lembrar que todos nós, homens ou mulheres, temos limitações e devemos evitar idealizar um parceiro perfeito, inclusive neste campo, pois não existe", observa Riccardo.
Segundo Geronimo Theml, coach e especialista em mudança de comportamento, para esse apoio por parte do parceiro efetivamente existir é preciso enxergar o relacionamento como um time em que, se um cresce, todos saem ganhando. Ele afirma também que nos relacionamentos afetivo e profissional, ou os dois ganham ou os dois perdem juntos.
"Pensando nisso como um esporte, o parceiro precisa sempre se perguntar se na relação ele está jogando tênis ou frescobol com a parceira. Um relacionamento precisa ser como uma partida de frescobol, em que ambos joguem juntos para que a bola permaneça no ar. O problema é que muitos parceiros acabam jogando tênis querendo mostrar que são melhores que as parceiras", analisa o coach.

Postar um comentário