Como manter o casamento durante uma grave crise financeira



Seja fruto de atividades escondidas ou de perda de emprego, a diminuição do capital do casal pode afetar o relacionamento. Com amor, paciência e um plano, saiba como lidar com isso

Enquanto o relacionamento está nas condições ideais – a chama do romance acesa, a conexão entre os dois garantida no dia a dia e as contas pagas com tranquilidade –, tudo é um mar de rosas em um casamento. Mas imprevistos acontecem, e uma instabilidade financeira pode colocar tudo a perder.
Uma pesquisa feita pelo IBGE em 2012, estudos independentes realizados desde 2010 para cá no País e o livro “Os Segredos dos Casais Inteligentes”, de Gustavo Cerbasi, chegaram a um dado unânime: crises conjugais relacionadas à falta de dinheiro são a segunda maior razão dos divórcios realizados no Brasil, atrás apenas das traições conjugais. Mas, de acordo com especialistas tanto da área financeira quanto da psicológica, não precisaria ser assim. 
JOGAR NO MESMO TIME 
“Não há generalização no aspecto psicológico, especialmente por esse tipo de situação envolver duas pessoas, mas a crise financeira do casal pode ser excelente para aumentar o afeto e o vínculo depois de sua superação”, defende a psicóloga Cleide Bartholi Guimarães, autora do livro “Até que o Dinheiro nos Separe – A Questão Financeira nos Relacionamentos”. 
Alcançar esse objetivo, segundo ela, depende de o casal jogar no mesmo time. “Há que se conversar com o objetivo de andar para a frente, de encontrar soluções, não apenas ficar martelando o problema de forma pessimista”, pondera. 
QUEBRA DE CONFIANÇA OU PERDA DE RENDA? 
Saber como e em que velocidade lidar com a questão dependerá da origem da crise. Economista e autora do livro “Finanças Femininas”, Carolina Sandler conta que são duas as principais causas: a traição financeira e a perda de emprego. 
Na primeira, o que ocorre é uma quebra de confiança. “É quando uma das partes empresta dinheiro do casal a amigos e parentes sem consultar a outra, gasta economias conjuntas em algo para si sem avisar ou mente sobre seus ganhos”, exemplifica Carolina, que também esclarece que a segunda é causada por fatores externos, pois uma demissão dificilmente é planejada ou esperada, mas afeta o casal de igual maneira. 
Postar um comentário